Coletor menstrual, o famoso copinho

Postado em 29/05/2018
Lifestyle

Tudo que você precisa saber antes de começar a usar!

Visando uma maior praticidade durante o período menstrual e, ainda, podendo colaborar com o meio ambiente, muitas mulheres estão aderindo ao uso do coletor menstrual.

Com isso, a oferta de diferentes tipos está ainda maior. Mas todos são iguais? Qual critério de avaliação devo usar na hora de escolher o coletor?

Segundo Mariana Betioli, sócia fundadora da Inciclo, marca pioneira de coletores menstruais no Brasil, o maior perigo de se usar um coletor menstrual falsificado, especialmente de procedência chinesa, está no fato de não se saber exatamente de que material ele é produzido. Sem certificados de procedência, e muitas vezes sem rótulo, a única certeza é que a origem desse produto é duvidosa.

Os coletores menstruais confiáveis geralmente são fabricados  em TPE ou silicone medicinal e possui certificação internacional.

Há relatos de outros países que realizaram análises em coletores coloridos e de procedência duvidosa e constatou-se que o material utilizado na fabricação não era silicone medicinal, mas industrial, alimentício ou até borracha. Foram encontrados metais pesados em todos eles. Seus corantes continham cádmio, chumbo e cromio, e desbotam com o tempo, sendo essa substância tóxica absorvida por umas das áreas mais sensíveis do corpo feminino. Esses metais pesados acumulam no organismo e, ao longo dos anos, podem causar danos graves como câncer de útero e infertilidade.

Além dos riscos do material utilizado, alguns copinhos podem vir com problemas no formato da haste,  as dobras podem ser ásperas, os buracos mal perfurados e ter cheiro ruim.

Para adquirir um produto que vai ficar em contato direto com uma área tão importante e sensível do corpo da mulher, com grande capacidade de absorção, é necessário se tomar todo o cuidado possível. Pesquisar a origem e as certificações das marcas, se são idôneas, e desconfiar de produtos muito baratos. Os coletores custam em média R$ 90,00. Por isso desconfie de produtos que chegam a ser vendidos por R$ 15,00.

A química Ligia Marques reforça o cuidado: “Ao meu ver, como química, qualquer substância ali, além do silicone ou TPE de fabricação, são desnecessárias. Mesmo os corantes alimentícios usados por algumas marcas podem causar alergia, como ocorre com muitos alimentos e, se essa cor desbotar após o uso, quer dizer que está se desprendendo do produto e será absorvida pelo organismo da mulher. “

Fique atenta às dicas!

Copinho Arco-íris purpurinado

Cores são lindas, mas adicionar corante ao produto não é benéfico à saúde íntima da mulher. A mucosa vaginal é muito sensível e absorve muito mais do que a pele por exemplo, por isso não deve ser exposta a químicos e pigmentos coloridos que podem oferecer danos à saúde.

O corante pode se desprender do coletor com o tempo e ser absorvido pela mucosa vaginal, o que explica porque alguns coletores coloridos vão se desbotando com tempo. Se desbotou é porque esse pigmento se desprendeu do copinho e, muito provavelmente, foi absorvido pela vagina. O mesmo vale para os modelos com glitter e de coloração neon.

Outro fator é a questão higiênica. Sendo transparentes, facilitam a higiene, já que a mulher consegue visualmente analisar e ver se o coletor menstrual está completamente limpo.

De onde vem?

Saber a procedência do coletor é fundamental. E, com a nova regulamentação da Anvisa, que está para acontecer, será ainda mais fácil e melhor assegurar a qualidade dos produtos disponíveis no mercado. Há mulheres que não têm informação suficiente para escolher um coletor de qualidade, não sabem dos riscos e na busca por um preço mais baixo podem acabar tendo problemas. É uma obrigação dos órgãos governamentais proteger as consumidoras.

Consumidora consciente

Pesquise e  compre de marcas confiáveis, confirme que o produto é original, exija nota fiscal e procure um coletor de qualidade, mesmo que custe um pouco mais caro. Se estiver barato demais, desconfie. Além do risco à saúde, alguns coletores são de qualidade tão baixa que não se encaixam direito no canal vaginal e acabam vazando durante o uso.

Lembre-se: o mais indicado é comprar um coletor feito de silicone transparente e hipoalergênico.


Joy Moretti

Idealizado pela jornalista Joy Moretti, o Radar Feminino é feito para as mulheres modernas, que estão atentas a tudo que está acontecendo ao seu redor, e querem se manter informadas sobre os mais diversos assuntos. É uma maneira de exaltar e homenagear as grandes guerreiras que fazem diferença em nosso país e no mundo diariamente. "Quando uma mulher empodera a outra, ela está reafirmando o seu próprio poder!"

Comentar

Seu email nunca será compartilhado. Campos obrigatórios são marcados *

*
*