Minha primeira vez na F1

Postado em 19/11/2019
Lifestyle

Estive no F1 Heineken Grande Prêmio do Brasil 2019

Minha família sempre acompanhou a Fórmula 1. Meu pai, fã do Ayrton Senna, assim como milhares de outros brasileiros, acordava cedo aos domingos para acompanhar as façanhas do piloto nas pistas.

Casei-me com o Rafa, outro apaixonado por automobilismo e fã do Ayrton Senna. Apesar de toda essa proximidade com o esporte, nunca havia assistido um GP de Fórmula 1. A oportunidade veio esse ano, quando fui convidada pela Heineken Brasil para assistir o F1 Heineken Grande Prêmio do Brasil, realizado no último domingo, 17 de novembro.

Eles me mandaram uma caixa linda com o convite para assistir o treino, a exposição do Senna no espaço Heineken e a corrida no domingo. Detalhe: todas as fotos e vídeos publicados utilizando a #ObrigadoSenna seriam convertidos em doações para o Instituto Ayrton Senna, que promove ações para ampliar as oportunidades por meio da educação pública.

De cara preciso elogiar o serviço de transporte público da prefeitura de São Paulo. Os ônibus para o autódromo de Interlagos saíam do Aeroporto de Congonhas e estava tudo super organizado. Os fiscais garantiam o embarque de todos e mantinham a fila organizada. O valor da tarifa era o mesmo praticado no restante da cidade.

Chegando lá nos deparamos com o espaço da Heineken, que estava simplesmente maravilhoso. Tudo decorado com as cores e o logo da marca, um espaço com os sanitários, praça de alimentação e, ao fundo, a Expo Memorability, com itens que marcaram a carreira do nosso grande tricampeão Ayrton Senna.

Mostrei nos stories os macacões do Senna, os capacetes, troféus e demais itens históricos. Ainda tinha um simulador super bacana e, claro, o bar Heineken.

Mas a emoção maior estava por vir: o Bruno Senna, sobrinho de Ayrton, pilotou a famosa McLaren do tio antes da largada da corrida, levando o autódromo ao delírio (e às lágrimas também). Impossível não se emocionar com o público entoando “Olê, Olê, olê, Olá, Senna…Senna!”

Imagino que tenha passado um filme na cabeça de todo mundo ao ver a McLaren cortando a pista ao som do “Tema da Vitória” do Senna, enquanto Bruno empunhava a bandeira nacional.

E se você acha que essa era a única emoção reservada pro dia, enganou-se. A corrida foi cheia de reviravoltas! Eu estava torcendo pelo Charles Leclerc, da Ferrari. Adoro o Hamilton, mas tô curtindo acompanhar a evolução rápida do “Charlinho” heheh. Maaaaas…. entre batidas, safety car e ultrapassagens arriscadas, não é que os dois pilotos da Ferrari acabaram de fora?

Por um erro de Sebastian Vettel, o carro dele colidiu com o de Leclerc e ambos abandonaram a prova. E o Hamilton não conseguiu a vitória, não. Porque chegou em terceiro devido a um erro estratégico na escolha de pneus e ainda por cima perdeu sua posição no pódio depois de ser punido por bater no carro de Albon.

Melhor pro Sainz, que pela primeira vez subiu ao pódio (improvisado pela equipe, já que a decisão da punição só saiu depois).

Com certeza um dia que vai ficar pra história. Vibrei a cada volta! O coração à mil por hora.


Joy Moretti

Idealizado pela jornalista Joy Moretti, o Radar Feminino é feito para as mulheres modernas, que estão atentas a tudo que está acontecendo ao seu redor, e querem se manter informadas sobre os mais diversos assuntos. É uma maneira de exaltar e homenagear as grandes guerreiras que fazem diferença em nosso país e no mundo diariamente. "Quando uma mulher empodera a outra, ela está reafirmando o seu próprio poder!"

Comentar

Seu email nunca será compartilhado. Campos obrigatórios são marcados *

*
*